14 de novembro de 2010

A Imigração Européia e ocupação do Sul do Brasil

A Imigração européia e a Ocupação da Região Sul do Brasil.
A região Sul do Brasil é a menor entre todas. No entanto, isso não impediu que a mesma alcançasse um dos melhores índices de desenvolvimento econômico e social do país, muitos deles superiores às médias nacionais. Conforme contagem populacional realizada em 2009 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Região Sul possui 27.719.118 habitantes.O processo de ocupação da região Sul está ligado, especialmente, a duas atividades primárias: a agricultura e a pecuária. A região intensificou o povoamento somente a partir do século XIX, até esse momento o território se encontrava quase que completamente desabitado, salvo os povos nativos, como os índios. Diante desse fator, o governo promoveu uma política de povoamento que atraiu imigrantes, sobretudo de origem européia. O governo brasileiro almejava o povoamento para facilitar o controle e administração da região, além disso, temia a invasão dos países vizinhos, caso a região continuasse desabitada. Os imigrantes europeus, eslavos (Russos, Poloneses e Ucranianos), Alemães e Italianos receberam glebas de terra do governo brasileiro, formando assim colônias agrícolas, nas quais desenvolviam agricultura e pecuária. A partir das colônias agrícolas surgiram povoados e cidades, algumas delas de expressão, como Blumenau e Itajaí (Santa Catarina), incluindo ainda São Leopoldo e Novo Hamburgo (Rio Grande do Sul). Fato que aconteceu em colônias italianas que deram origem a Criciúma (Santa Catarina); Caxias do Sul e Garibaldi (Rio Grande do Sul). Nos dias atuais, a região possui duas regiões metropolitanas que se destacam: a Grande Porto Alegre e Curitiba. Há também cidades médias de grande relevância dentro da região, como Londrina e Maringá.

1 comentários:

47 numeros disse...

QUE FODA.... AINDA NAO LI!!!

29 de fevereiro de 2016 17:47

Postar um comentário