12 de julho de 2011

Um novo país: O Sudão do Sul

Sudão do Sul: Nasce amanhã o 53º país africano
08 de Julho de 2011, 13:19

Mais de 8 milhões de sudaneses do sul testemunharão este sábado, 09 de Julho, o nascimento da 193ª nação mundial, a 53ª a nível africano.





Com uma área de 619 745 quilômetros quadrados, o novo estado africano é constitúido por dez estados, sendo Juba, a capital do país.
Neste sábado, 09 de Julho, espera-se a presença de 30 dirigentes africanos, entre eles Omar al-Bashir, que discursará perante os seus pares e os milhões de sudaneses que se esperam assistam ao histórico acto. O Ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, William Hague, e o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, também devem assistir às cerimónias.
O içar da bandeira acontece seis anos depois do Tratado de Naivasha, assinado em 9 de Janeiro de 2005 em Nairóbi, Quénia, que pôs fim à mais longa guerra civil da história do continente africano (1983-1995), entre o Exército do Sudão e rebeldes sulistas do SPLA (Exército Popular de Libertação do Sudão), sudaneses de raça negra e religião cristã ou animista.
Durante a guerra, morreram mais de dois milhões de pessoas e mais de quatro milhões foram deslocadas.
Apesar dos acordos de paz, continuam os combates em Kordofan do Sul, na fronteira do Sudão e do Sudão do Sul. Mais de 2300 pessoas morreram desde o começo do ano no sul do Sudão devido a confrontos tribais e à violência de rebeldes, segundo revelou ontem fonte da ONU.

Mais de 500 pessoas morreram só na última quinzena de Junho, segundo cifras da ONU, o que indica um agravamento da situação. No relatório anterior, em meados do mês passado, eram contabilizados 1800 mortos desde o começo de 2011.

A maior parte das novas mortes esteve relacionada com disputas por gado na região de Pibor, segundo agências humanitárias da ONU no sul do Sudão.
Grupos étnicos disputam há séculos o gado, parte vital da economia local. Mas o número de mortos tem aumentado porque, depois de décadas de guerra civil, a área está infestada de armas ligeiras. O governo do sul do Sudão acusa o norte de armar tribos rivais e de provocar insurgências para abalar o futuro país e manter seu controlo sobre ele. Porém, Cartum nega as acusações.
A independência Sul do Sudão foi decidida num referendo realizado entre 9 e 15 de Janeiro deste ano, quando mais de 98 porcento dos eleitores votaram a favor da secessão.





Dados do Sudão do Sul
Capital Juba
Cidade mais importante Juba
Língua oficial Inglês e árabe
Língua não-oficial O árabe de Juba é a língua franca em torno da capital; o dinka tem 2 a 3 milhões de falantes, e outras principais línguas são o nuer, zande, o bari e o shilluk
Presidente Salva Kiir Mayardit
Independência 9 de julho de 2011


1 comentários:

Matheus disse...

Alô mestre Marcus aqui é Matheus Oliveira do 2ª E,professor estudando para sua prova veio uma duvida.
A característica de local onde Ombrofitas e Higrófitas ficam é quase a mesma: em locais umidos.
Quando eu posso diferenciar-las?

16 de julho de 2011 20:42

Postar um comentário